A história de como um show fantástico quase vai por água abaixo por um lapso de organização.

15 de Março de 2009, um dia para ficar marcado na história do rock'n'roll no Brasil por dois motivos: 1) Um show mais do que perfeito do Iron Maiden e 2) A demonstração mais vergonhosa de falta de organização já ocorrida num Show. Mas "First things first", como a imprensa vai divulgar "ad nauseaum" o que aconteceu por lá, vou pôr os fatos sob um outra ótica, a de um fã no emaranhado de 63 mil pessoas (dados do G1).
Descolei uma excursão saindo de São José dos Campos às 10:30 para eu e meu irmão André, todavia como brasileiros não são britânicos, o ônibus partiu praticamente as 11. Ônibus cheio, galera animada e, acreditem, comportada. Por definição headbangers são seres que se vestem como malucos, mas são extremamente amigáveis e civilizados.
Pouco antes do meio-dia o primeiro prenúncio dos céus (ou do inferno), um dos pneus do ônibus furou e pensei que o show seria "live in rancho da pamonha", pois ficamos por lá algum tempo, nada grave contudo e em menos de uma hora estavamos na estrada novamente.
13:50, Autódromo de Interlagos, praça em frente ao portão principal do local do show. Notei uma fila (de 500 metros) que pensei ser a que deveria encarar após pegar os ingressos na bilheteria e fui pegar o tão almejado passaporte do rock, sem muita fila ou enrolação denotando o bom trabalho desempenhado pela Live Pass empresa responsável pela comercialização das entradas.
Voltando para a praça, estava aguardando um primo que mora em Sampa e iria assistir o show com a gente, ele deveria chegar por volta das 15:00, contudo após muitos contatos sem retorno, às 15:30 decidimos encarar a fila.
Dois minutos depois de tomar essa decisão, São Pedro resolve descer o dilúvio na cabeça dos infelizes que começavam a entrar (os portões deveriam ser abertos as 14:00, mas não vi movimentação significativa na fila até esse horário).
Enquanto aguardava a chuva amainar sob o toldo da guarda civil metropolitana, notei que aquela fila de 500 metros era para a pista premuim, ingressos mais caros para ficar bem perto do palco e a nossa fila era a que ia para o outro lado. Nesso momento penso: "porra, se essa aqui é pra quem tinha mais grana, a fila do povão deve estar imensa".
"The evil that man do": A fila quilométrica para entrar no show

Quinze minutos depois a chuva dá uma tregua e esse pensamento toma proporções homéricas: A fila para a pista simples se estendia por cerca de três quilômetros (se não era mais)! As 16:00 conseguimos chegar ao fim dela, os problemas não pararam por aí.
Demonstrando uma completa falta de preparo para a quantidade de pessoas que estavam por ali, esta fila não tinha supervisão de nenhuma autoridade ou de representante da organizadora, o que permitiu que uma caralhada de pessoas furassem fila impunes.
A CET também tem sua parcela de culpa, pois a fila não tinha sinalização ou demarcação, atravessava ruas e até o estacionamento do autodromo e as pessoas precisavam se dividir nos cantos como o mar vermelho quando um carro queria entrar no recinto (o que permitia que mais uma porrada de gente furasse fila). O policiamento ostensivo era razoavelmente eficaz contra os cambistas, mas não faziam muita coisa com os "furantes". Rogo uma praga para que todos eles (os furantes) queimem do fogo do inferno. (risada maquiavelica) Hahahahaha!!!
Chegando próximo as 20:00 (horário programado para o show), depois de quatro horas de pé rezando pra chuva não voltar, fico sabendo pelo zum-zum-zum das pessoas que a cerca de contenção (que tecnicamente serviria para organizar a fila) foi aberta e todo mundo está entrando! Quatro horas de pé por nada! Fico muito puto, contudo já estava quase entrando mesmo continuo na fila... (depois fico sabendo que foi a Mondo que vendo a cagada abriu uma nova brecha na entrada, só esqueceu do "detalhe" de avisar quem estava na frente esperando por mais de 4 horas...)
"Children of the damned": 63 mil pessoas aguardam para ver Iron Maiden

20:10, finalmente dentro do recinto, as pessoas que estavam dando suporte estão tão perdidas que nem verificam nossos documentos e se meu irmão realmente é estudante. Coisas da vida, hehehe!
Uma passadinha no banheiro químico antes da concentração, sem novidades, porém noto que muitas pessoas não estão muito afim de aguardar na fila (bem pequena no momento) e fazem seu xixi nas placas de metal que cercam os banheiros. Gente porca é f*da...
Chegando na pista, reparo da pior maneira possível que o lugar virou um puta lamaceiro por causa da chuva e da incompetência dos organizadores em colocar proteção para o gramado, como é de praxe em shows feitos em estádios. Chego a atolar (sério) e buscando um lugarzinho bom pra ver o evento meu tênis ficou marrom (ainda bem que não gosto de calçados brancos) bem como minha calça até a canela e penso: "Não acredito que saí da roça pra me sujar de barro em São Paulo...".
Por causa destas intempéries, o show atrasa em uma hora. 21:00 é hora de esquecer toda a merda que a Mondo Entretenimento fez e curtir um baita show. Não me arrependo e ainda bem que para me comunicar com vocês posso usar os dedos, pois se usasse a voz nada sairia.
"Sanctuary": O palco, uma ilha num mar de gente e lama

Como no Parque Antartica no ano passado, o show foi irretocavel, Bruce Dickinson extremamente comunicativo e se mostrando novamente um showman como poucos sobraram do Rock e 16 músicas impecavelmente executadas. Ainda que tenha notado um pouco de pressa por parte da banda, provavelmente por causa do atraso. A produção do palco (tirando alguns "glitches" nos telões por causa da chuva) foi monstruosa e fantastica, bem Iron Maiden mesmo. Um primor de Show!
Só que a Mondo Entretenimento não se fez esquecer... Não sei se alguém aí tem alguma coisa pra reclamar sobre os poucos banheiros químicos depois das cervejas ou das áreas de alimentação afastadíssimas do palco, porque eu não cheguei a usar, ou mesmo da aparente ausência de ambulâncias (eu não vi nenhuma), contudo certamente todos os presentes acompanharam o caos e o pandemônio da saida do show às 22:55.
Para você que não foi, imagine umas 10 mil pessoas tentando sair ao mesmo tempo da cozinha da sua casa por uma porta comum. Agora troque essas 10 mil por 63 mil e sua porta por um único portal semi-fechado por puro despreparo dos seguranças do local. (Imagina se fossem as 100 mil pessoas que Bruce Dickinson disse no palco...).
O resultado? Aperta-aperta, empurra-empurra, gente xingando e tentando cortar caminho pulando cercas, divisorias, muros. Pessoal, sério, temi por minha vida, pois se eu ou o meu irmão tropeçasse e caisse poderiamos ser pisoteados. Vi uma garota desmaiada passar pela gente. Um cenário dantesco. E sabem o que é mais irônico? No letreiro do portal estava escrito "Saida de Emergência"! Se uma tartaruga tivesse mordendo as pessoas lá tinha todo mundo morrido, imagina um incêndio?! Foi por sorte, muita sorte mesmo, que ninguém se feriu.
Quase quarenta minutos depois e passado o portal o "trânsito de gente" flui melhor e preciso desesperadamente de água por conta do calor e da desidratação do momento.
Encontro o pessoal da excursão e às 00:20 desta segunda-feira estou sujo, cansado, porém são e salvo. Até os outros companheiros de viagem sair do mar de gente e chegar ao ônibus saimos quase à uma da manhã. Tento cochilar no caminho de volta e noto que 99% dos passageiros estão demolidos tais como eu.
Quase três da manhã, destino final, retorno a São José depois de uma estafante (mais do que precisava, é verdade) odisséia de mais de 16 horas. Um taxi me leva ao conforto do lar às 03:15, onde menos de três horas depois tenho que me levantar pois é segunda-feira, dia de retornar para vida de reles mortal e ao trabalho de peão.
Resumindo: O show foi fantástico, mas a falta de preparo da Mondo Entretenimento em acolher tantas pessoas quase ruiu com a paciência dos fãs e que poderia resultar em catástrofe. Cacete, se eles não tinham estrutura para 63 mil pessoas porque venderam 63 mil ingressos!
Enfim, estou sem pique (e principalmente sem grana) para assistir ao três próximos grandes shows que acontecerão em breve em São Paulo: Kiss (que vai acontecer numa TERÇA-FEIRA!), Motorhead e Deep Purple (who gives a fuck about Radiohead? hahahaha!), contudo nem que eu vá rastejando pela Rodovia Presidente Dutra eu não perco Dio, Appice, Iommi e Butler. Heaven and Hell, 15 de Maio! Vejo vocês lá!

Track List

1. "Aces high" (Powerslave, 1984)
2. "Wrathchild" (Killers, 1981)
3. "2 minutes to midnight" (Powerslave, 1984)
4. "Children of the damned" (The Number of the Beast, 1982)
5. "Phantom of the opera" (Iron Maiden, 1980)
6. "The trooper" (Piece of Mind, 1983)
7. "Wasted years" (Somewhere in time, 1986)
8. "Rime of the ancient mariner" (Powerslave, 1984)
9. "Powerslave" (hãããã... Powerslave, 1984)
10. "Run to the hills" (The Number of the Beast, 1982)
11. "Fear of the dark" (Fear of the Dark, 1992)
12. "Hallowed be thy name" (The Number of the Beast, 1982)
13. "Iron Maiden" (Iron Maiden, 1980)

BIS

14. "The number of the beast" (The number..., 1982)
15. "The evil that men do" (Seventh son of a seventh son, 1988)
16. "Sanctuary" (Iron Maiden, 1980)

P.S.: Ah, sim, lembrei. Pelo tempo que eu fiquei na fila, parece que eu perdi a abertura da banda de Lauren Harris (a filha gata do Steve Harris). Será que me fez falta?! Náááááááo, hahahaha!

3 gritos:

Renato Rosatti disse...

O show foi ótimo e a organização péssima. Por sorte, moro perto do autódromo e fui a pé, e como saí rápido, não peguei a zona de milhares de pessoas ao mesmo tempo numa saída minúscula...

Vinicius disse...

Show fantástico, organização lixo. Furei a fila por voltas das oito e pouco da noite, nessa brecha da grade perto do UNICO portão de acesso pra pista normal, depois de ter esperado no fim da fila gigante por mais de três horas. Tento justificar tal ato por medo de perder o início do show, coisa pela qual passei no segundo show do Roger Waters no brasil, graças a merda de organização q demorou demais pra liberar os portões do Morumbi e me fez perder todo o primeiro set do show (40 minutos!!!). Espero que o show do Kiss não seja essa zona também.
O show do Purple já foi, cara, mas o Heaven and Heel vai ser duca!!!!

Cae disse...

Fui no show e foi fantástico. Junto com o do Ozzy, foi o melhor da minha vida. Só estragou mesmo a organização lixo, que me fez esperar 1h15 pra sair da porra do autódromo. Será que é assim em dia de corrida tb?
Sem falar no estacionamento, que foi a facada de 40 mangos. Legal também foi comer esfirra no Mister Sheik, com um monte de cabeludo fazendo zoeira. Sem falar nas gatas tatuadas que você via em todo lugar.