A revista japonesa Famitsu lançou uma edição algumas semanas atrás com um DVD. No disco, a publicação mostrou um vídeo sobre o aguardado Resident Evil 5. Agora, a produtora do game, a Capcom, legendou a novidade. Confira abaixo tudo o que o produtor Jun Takeuchi - e seu incrível penteado permanente - falou sobre o novo capítulo da famosa série (conhecida como Biohazard no Japão).
Takeuchi começa falando que o sistema gráfico está finalmente pronto - e que a partir daqui eles poderão se concentrar no jogo e seus detalhes. Ele lembra também que o primeiro Resident Evil se passava todo dentro de uma mansão, algo que não acontecerá na nova versão, na qual "tentamos colocar o jogador ao ar livre o maior tempo possível, onde ele enfrentará mudanças de clima e a passagem do tempo, além de outras variáveis".
O produtor explicou também a gênese do projeto. "Alguns de nossa equipe achavam que deveríamos recuperar a atmosfera dos primeiros games, mas acabamos optando por uma direção completamente diferente. Quisemos mostrar a origem do vírus [que transforma humanos em mortos-vivos], então, por que não ambientar o game no berço da civilização? O problema é que levar o game para a África significaria usar muita luz, algo que é uma novidade para a série [...] e, claro, ao criar luz você cria sombras - e essa dualidade sempre foi mostrada de forma abstrata em Resident Evil. Agora quisemos criá-la de maneira realista, mas ao mesmo tempo combinando alguns daqueles elementos abstratos pelos quais RE é conhecido [...] usamos isso para aumentar a sensação de medo do escuro". Takeuchi exemplifica suas soluções mostrando como os "olhos" do jogador terão que se adaptar em passagens de luz às sombras - de interior ao exterior.
O aguardado Resident Evil 5 deve ser lançado no final do ano para Xbox 360 e PlayStation 3. O sistema de jogo será o mesmo criado para Resident Evil 4, com algumas atualizações que o produtor ainda não detalha. Abaixo você confere o vídeo integral da entrevista.






Esta semana também não foram de boas notícias para RE5. A divulgação do trailer abaixo não teria tanta repercussão não fosse uma declaração do crítico de games N'Gai Croal do site da Newsweek para o blog de games da MTV, causou furor devido a uma possível conotação racista no game, pois se trata de um "herói" branco matando zumbis "mestiços ou negros". Lembrando que a história de RE5 se passa no Haiti. Assista o referido vídeo primeiro e tire suas próprias conclusões:






Vale dizer que esta não é a primeira movimentação sobre o assunto. Agora vamos à alguns fatos. É certo que a afirmação inflamada têm fundamento, porém é nítido que em tempos de coisas politicamente corretas a declaração tenha sido um pouco exagerada. Pois a caça as bruxas não é de hoje (e como gamemaníaco posso dizer com propriedade), o game Doom já foi acusado de provocar um massacre numa escola estadunidense, polêmicas com relação as conotações pornográficas em GTA:San Andreas, a emissão de opiniões arbitrárias sobre o game Mass Efect publicadas na mídia e o banimento sem embasamento de Counter Strike no Brasil só fazem perceber que ainda há pessoas que acham que games são apenas coisas de criança, porém é uma indústria sólida com um mercado em expansão para todas as faixas etárias.

Fontes: Omelete, GameTrailers e Vault of Horror

2 gritos:

jonatam_q disse...

Que viadagem, deixem os jogos em paz.

Matheus disse...

Põe um herói africano aniquilando uns europeus zumbis que o jogo leva até condecoração.
Complicado ...
No 4 se matavam espanhóis malucos e ninguém implicou pois sabiam que se tratava de uma obra de ficção mas não adianta, essa paranóia toda só cria polêmica e (mais) segregação.